Existe aquela famosa frase que diz: “para quem não sabe para onde vai, qualquer caminho serve”. Este é o ponto chave para a importância da medição da qualidade de software em suas diversas métricas.

Não se pode melhorar o que não está ruim (ou ao menos que não se tem certeza). Os softwares de hoje estão ficando cada vez mais complexos, sendo que um problema de performance pode estar em diversas camadas.

Peguemos um exemplo não muito complexo: load balancer, cache, CDN, banco de dados. Não se justifica um plano de ação em achismos, as métricas devem estar bem definidas em cada camada assim como a forma de obtê-las. Qualquer coisa diferente disso torna o processo de otimização custoso baseado na tentativa e erro.